31/10/2016

IT - A Coisa, de Stephen King (#8)

E finalmente cá estou eu pra falar sobre o livro que é motivo do Barricada de Livros existir! No meu primeiro post eu disse que estava lendo um livro grande e que não estava perto de terminar e era esse o dito cujo. Foi ele também que me trouxe uma crise horrível, pensei muito sobre minhas experiências literárias e percebi o quão solitária era. Foi ai que pensei "vou fazer um blog". E cá estou eu.

Agora sem delongas vamos para a história.
A história se passa em Derry, uma cidadezinha do Maine. 
No verão de 1958, no início das férias de verão uma grande amizade é desenvolvida entre sete crianças: Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly. Mas além disso, uma força terrível vem atacando a pequena cidade. Eles conhecem então a Coisa, um ser maligno que se alimenta de crianças inocentes.

Quase trinta anos depois, em 1985, a Coisa que parecia ter sido derrotada acorda novamente. Mike, o único elemento do grupo que permanece em Derry dá o sinal para que todos voltem para que a Coisa seja enfrentada mais uma vez, cumprindo a promessa feita com sangue que fizeram quando crianças.

Tá, foi bem sinopse de orelha de livro, eu sei. Mas amigo, eu juro que se eu começasse a escrever a história eu escreveria TODO o livro, isso porque ele é um livro que meu deixa muito animada. Aliás vamos abrir um parêntese aqui e já dizer que esse post vai ser puxa-saco do livro e do Stephen King. Esse foi o primeiro livro que li do Stephen (pois é, tem gente que me chama de louca por isso, e eu entendo) e eu fiquei encantada demais. Sem dúvida é meu livro favorito de todos os tempos. Voltando.

Quando comecei a ler, em 2014, eu não estava preparada e nem acostumada com a forma de escrever do Stephen, como disse, foi meu primeiro livro dele. Eu até cheguei a abandonar a leitura e voltei só esse ano. Mas depois de insistir, eu li tudo com o maior prazer.

O que aconteceu é que eu tinha um receio muito grande por causa do tamanho do livro. Eu queria ler sim, mas o tamanho me desanimava muito. Me interessei pela história por causa do filme de 1990, Pennywise sempre foi muito popular então volta e meia eu via ele na internet. Decidi assistir com a minha prima pois nós duas temos medo de palhaços e achamos que seria interessante enfrentar esse medo.

O medo na verdade não passou, ainda não gosto de palhaços, mas o medo de Pennywise foi embora rapidinho junto com as 3 horas bem massantes do filme. Terminei de assistir com raiva de ter perdido preciosas horas da minha vida vendo um filme que não me deu nenhum medo e ainda me deixou muito confusa. E por não entender a bendita história do filme que fui atrás do livro. E agora cá estou toda apaixonada pelo Pennywise ❤

até fiz esse marcador com a carinha dele *-*
O livro (assim como o filme) constantemente viaja no tempo e intercala acontecimentos do passado com os do presente, isso porque todos os personagens daquele grupo de amigos que saíram de Derry se esqueceram de tudo que viveu. Mike, por ser o único que permaneceu na cidade, também é o único que se lembra. Então o livro narra os acontecimentos do presente e nós leitores descobrimos o passado junto com os próprios personagens.

O quão legal é isso?! Porém eu não saquei isso no filme e nem muito bem no começo do livro, por isso acabei ficando meio confusa. Mas depois que você pega o ritmo a leitura flui bastante. Para mim, as partes mais interessantes do livro são os interlúdios pois neles temos o que parece ser o diário de Mike onde ele reflete e narra os terríveis acontecimentos do passado de Derry envolvendo a Coisa. É maravilhoso. O segundo interlúdio então.... MEU DEUS. 

O segundo interlúdio nos mostra o incêndio num bar em 1930 e é muito bem contada. Pude sentir a agonia das pessoas queimando e até tive a sensação de estar sentindo o cheiro de carne humana queimada, Credo. Mas adoro quando o livro me faz sentir o que tá rolando.

Stephen King escreve It da mesma forma como alguém faz crochê. Cada ponto tem que ser feito de forma correta para que os trançados fiquem da forma que precisam para que seu objeto-objetivo fique perfeito. Cada ponto é importante, se algum ponto não for feito direito, você tem que desmanchar tudo para arrumar. It é um tapete de crochê.

Stephen não tem pressa em contar sua história, porra é a história de uma cidade inteira, não tem que ter pressa mesmo. A cada personagem introduzido, Stephen nos mostra toda a vida dessa pessoa. É como se ele dissesse para nós: "ei, olha essa pessoa, ela é importante". Algo que todos nós deveríamos levar para a vida. O livro, apesar de ter um ser sobrenatural, mostra a história acontecendo em cascata. Uma coisa leva a outra, que leva a outra e leva a outra. O que pensando bem é o que acontece sempre em nossas vidas.

Assim como na história de Stephen, todas as pessoas que passam em sua vida são importantes. Você pode não saber a história dela, mas não ignore sua importância. Ou as vezes eu to vendo coisa onde não tem... pode ser. Mas de qualquer forma, acho muito bonito como o autor nos mostra sobre como aquela personagem é, mesmo que logo após isso tudo ela acabe morrendo.


Mas de forma geral, é uma ótima história de terror. Eu senti medo algumas partes, a Coisa mata brutalmente e não tem como não sentir algo ruim lendo algumas mortes. Mas, como eu sempre acabo fazendo com os vilões, eu vejo muito o lado da Coisa e sinto pena. E amo ao mesmo tempo também.
Pensando bem, ela só está tentando sobreviver. Assim como todos nós.

Mas se tem uma coisa que a Coisa sabe fazer é ser HUE. Mesmo estando nos Estados Unidos ela tem uma alma brasileira certeza. Algumas cenas eu ria demais das atitudes dela, ela realmente leva a imagem de palhaço a sério hahaha 
Melhor personagem, com certeza.

É isso pessoal, eu não falei tanto da história por que realmente é meio impossível. Eu acho, ia acabar meio confuso então achei melhor não. Se você tem medo de palhaços, você com certeza vai morrer de medo. Na verdade vai depender do nível de medo que você tem... eu não senti tanto medo assim.
De qualquer forma, leia a seu próprio risco.
Bom Halloween pra vocês, cuidado com os fantasmas!
Título Original: It
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 1102
Tradução: Regiane Winarski
O que achei?
não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?

4 comentários:

  1. Oi, passei para avisar que te indiquei em uma tag lá no blog.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Cara.. deve ser uma leitura bem densa e exige a nossa total atenção, esse tapete de crochet parece ir incorporando personagens e mais personagens que fazem sentido para a história, precisamos nos acostumar com essa trama para não nos perder, né? Nunca li Stephen King, acredita? O tamanho dos livros me assusta um pouquinho rs Beijos!

    Colorindo Nuvens

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, exatamente. Volta e meia eu me perdia e tinha que matutar um pouco ou voltar algumas páginas pra me achar hahaha mas vale a pena todo o esforço! Sim, assista um pouco mesmo! Mas as histórias dele chamam tanta atenção! Tô louca pra ler mais!

      Beijos!

      Eliminar