22/03/2017

Uma História Meio que Engraçada, de Ned Vizzini (#24)

E finalmente eu tô aqui pra falar sobre um dos livros mais xuxu que eu tenho aqui no meu acervo. Ganhei ele de aniversário do ano passado e foi o melhor livro que já ganhei, isso porque eu já tava namorando ele fazia tempo! Desde que vi o filme (que tem a tradução mais nada ver existente) eu tava louca para ler. Porém na época o livro não tinha sido publicado no Brasil, e a versão inglês era bem cara e acabei ficando nisso.

Mas aí veio o grande acontecimento! A Leya tinha publicado o meu grande amorzinho!
E eu sou completamente grata pela Leya não ter feito a capa do filme e nem usado a tradução do filme. MUITO OBRIGADA LEYA!

"Uma História Meio que Engraçada" vai nos contar a história de Craig, um garoto de 15 anos que tem depressão e pensa em cometer suicídio. Mas se interna em um hospital antes de tentar alguma coisa.
Narrado em primeira pessoa, Craig começa nos contando um pouco sobre sua vida. Nos fala sobre seus amigos, sua família e em como ele tinha um objetivo bem claro: passar na Executive Pre-Professional High School por acreditar que fazendo uma escola séria e bem puxada, com a melhor educação, seria o grande segredo de uma vida bem sucedida.

Mas ao passar e começar o ensino médio, ele se vê pressionado a ser o melhor assim como seus colegas de escola. Mas Craig é "apenas" um aluno dentro da média. Ele então entra em depressão, chegando ao ponto de pensar em suicídio.

Craig então passa 5 dias dentro da Seis Norte, a ala psiquiátrica do hospital. Ele tem que ficar junto com os adultos já que o andar de adolescentes está sendo reformado. Lá ele faz amizade com os pacientes e até conhece outra adolescente, a Noelle.

O livro nos conta sobre um tema pesado e muito comum de forma cômica, ele não tenta deixar o ar com aspecto pessimista. Mesmo nas partes em que Craig narra o que está sentindo, você consegue até sentir o sufoco que é, mas por ter essa vibe fica bem mais fácil de ler.


Mas isso não torna o livro menos difícil, e nem banal. Com a leitura, é possível ter uma melhor visão sobre essa doença seríssima que até hoje é vista como uma simples "frescura" ou "drama. Até Craig tem um pouco dessa visão perante ele mesmo. Ainda mais vendo seus colegas ali, numa situação pior que a dele. Ele reforça a ideia de que os problemas dele, por serem menores, não são importantes e assim ele só está tentando ter uma desculpa para não fazer o que precisa fazer.


"[...] E, pelo fato de precisar ser o centro das atenções, de precisar de algo mais, acabei vindo parar aqui, chafurdando em mim mesmo, tentando convencer todo mundo à minha volta que eu tinha alguma espécie de... doença.
Não tenho doença nenhuma. Dá pra ir levando. Depressão não é uma doença. É um pretexto pra ser uma prima donna. Todo mundo sabe disso."


O que não é verdade. E isso é muito comum de se ver.
Quantas vezes alguma coisa ruim aconteceu com você e alguém disse "pelo menos não foi nada pior" ou alegou que você devia pensar que alguém em algum lugar está numa situação pior que você?

Precisamos parar com isso! Muitas pessoas não procuram ajuda justamente por sentirem que tem a obrigação de ficar satisfeito com seus problemas porque eles não são piores. Problemas são problemas e precisam ser resolvidos! E além disso, é tudo muito pessoal. O que pra mim pode ser horrível, talvez pra você não seja nada.
Craig entende isso no desenrolar de sua trajetória ali no hospital. Ele precisa focar em seu próprio tratamento e ficar bem. E isso não é egoísmo.


Ned Vizzini

Edison Price Vizzini, nasceu dia 4 de abril de 1981 e começou escrevendo para o The New York Press quando tinha 15 anos. Aos 19 publicou seu primeiro livro, Teen angst? Naah...
Ele escrevia sobre suas experiências, principalmente na época do ensino médio.
Uma História Meio que Engraçada é baseada em sua experiência pessoal dentro de um hospital psiquiátrico em 2004.

Ned Vizzini cometeu suicídio em 19 de dezembro de 2013.


Título Original: It's Kind of a Funny Story
Autor: Ned Vizzini
Editora: Leya
Páginas: 293
Tradução: Luis Reyes Gil

O que achei?
 não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?

3 comentários:

  1. Gente que tendência de livro, como assim eu não conhecia?
    To chocado, quero esse livro na minha mão para ontem haha de verdade, gostei muito. Além de uma capa linda, a história em si é muito envolvente.
    Adorei o post, a resenha e o blog <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse livro é maravilhoso! Melhor livro!
      Muito obrigada! ♥

      Eliminar
  2. Gosto de livros com esse tema delicado. Esse livro narrado de uma forma cômica deve ser mais leve para um tema pesado e achei isso interessante. Claro, que quero ler e saber o que vai acontecer com o Craig!

    Beijinhos ❤

    ResponderEliminar