Nerve, de Jeanne Ryan (#29)

by - quarta-feira, abril 26, 2017

Título Original: Nerve
Autora: Jeanne Ryan
Editora: Outro Planeta
Páginas: 302
Tradução: Débora Isidoro
COMPRAR

O que achei?
não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?

Quem nunca brincou de verdade ou desafio quando estava crescendo? Eu já brinquei disso várias vezes, inclusive a última vez foi ano passado num grupo e amigos. E sejamos sinceros, quem é que ligava pra verdade? Primeiro porque ninguém realmente saberia se você estivesse mentindo ou não. Segundo porque a graça no jogo é ver os amiguinhos fazendo coisas cabulosas e engraçadas. Até humilhantes.

Nerve usa como base essa brincadeira. Mas sem a verdade, só desafio. E a melhor parte: ao completar os desafios, você ganha algum prêmio show que você tá querendo faz tempo. Isso não é fantástico? Bom é, no mínimo, tentador.

No livro acompanhamos Vee, uma garota que está no ensino médio e é super normal entre todos seus colegas. Bem, tirando o fato de que ela está de castigo por um tempão por ter adormecido na garagem com o carro ligado. Mesmo tendo sido um acidente, seus pais acreditam fortemente de que o episódio foi uma tentativa de suicídio. E cá entre nós, apesar de todo o drama que Vee faz em cima disso, eu sou obrigada a ficar do lado dos pais dela. Melhor prevenir né? Claro que por conta da narração em primeira pessoa, nós sabemos com certeza de que foi um acidente mas não culpo os pais dela por serem tão duros.

Vee é aquela típica adolescente que se sente deslocada no ambiente em que vive e no próprio corpo. Amiga da garota mais popular e bonita da escola, ela tenta viver a vida dela da forma que consegue. Mesmo insegura ela flerta com seu crush o que me ganhou, isso aí garota! 
Cansada de ser sempre a garota que fica no backstage literalmente já que ajuda com figurinos e maquiagens no clube do teatro, onde sua melhor amiga Sid brilha nos holofotes — ela decide participar de um desafio de inscrição no novo jogo do momento Nerve.

Sem fé de que vai ser escolhida, ela vai com a cara e a coragem com seu amigo em uma lanchonete e cumpre seu desafio. Acontece que todo mundo acaba adorando ela, o que aumenta sua confiança a fazendo aceitar o convite para participar dos desafios ao vivo. 

Apesar de ter uma premissa genial eu sinto que a autora não atingiu tudo o que poderia ter atingido com a história que tinha. Pessoalmente, a única parte que realmente me impressionou foi o prólogo em terceira pessoa em que mostra a situação de uma antiga jogadora de Nerve. A qualidade cai logo que o livro passa para primeira pessoa e Vee nos conta sua história, nem parece que foi escrito pela mesma pessoa. 


Na verdade, acho que isso se deve muito mais pela perspectiva mostrada. No prólogo, temos uma situação perigosa e tensa vista por alguém de fora. No restante do livro, temos toda a história de uma adolescente cansada de ser vista como alguém fraca e medrosa entrando num jogo que, de início, são bem emocionantes apesar do leve perigo. Mesmo perto do fim, quando o clima muda completamente, a narração de uma adolescente revoltada e até um pouco chata tira toda a seriedade da situação.

Mesmo não aprofundando muito em suas personagens, Jeanne Ryan consegue criar uma narrativa que nos envolve desde o começo até o fim. A vontade de saber o que acontece em seguida é tão grande que a esquecemos completamente das falhas que existe. O que até decepciona um pouco, visto que poderia ter um foco muito maior na crítica com nossa obsessão com reality shows e o interesse na humilhação alheia.

Mas é uma leitura gostosa de ser feita. Rápida e prazerosa.
E aí, você já leram ou viram a adaptação com o Dave Franco e a Emma Roberts? Digam aqui nos comentários!

You May Also Like

7 comentários

  1. Nossa, eu fiquei realmente surpresa com sua resenha. Não conhecia o livre, evidente, mas fiquei atiçada em ler e saber mais desta menina que quer mudar a perspectiva de como é vista e vai se encorajando no decorrer da história. Sempre vemos personagens mtas vezes inverossímeis, mas isso parece o mais humano..quando a pessoa quer mudar.
    Fiquei curiosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro deixar as pessoas curiosas! Espero que goste da leitura <3

      Eliminar
  2. Também tem filme? Quero! Também achei que tem uma premissa incrível, fiquei logo louca pra ler, mas desanimei um pouco depois da tua opinião. To cansada dos autores fazendo isso, pegando uma ideia foda e fazendo nada com ela. Quer uma dica de livro que NÃO é nenhum pingo assim? O canto mais escuro da floresta. Amei demais! Quanto a Nerve, vou pensar pq realmente achei a ideia muuuito boa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conheço esse livro, vou pesquisar sobre.
      Ah, mas dê uma chance! O filme é melhor aproveitado? É, mas o livro é legalzinho também hahah

      Eliminar
  3. Olá! Achei a sua resenha realmente muito boa!Vi o filme há algum tempo e adorei. Me identifiquei em alguns aspectos. Quem nunca brincou de algum jogo desafiador, né? Não sabia que tinha o livro. Vou procurar para ler. Beijos e boa sorte.

    www.brincandodeolivia.com

    ResponderEliminar
  4. Eu brincava muito, e pensava a semana inteira para bolar os melhores desafios profissionais jogo no fundo kkkk fiquei super curiosa para ler esse livro, mais curiosa ainda para ver os prêmios show. Preciso saber ��

    ResponderEliminar
  5. Oie!
    Primeiro, amei seu layout e vamos ser amigas já que amamos gatos!
    E gente, não conhecia esse livro, achei a premissa legal mas a protagonista não me animou, sei lá. Ler mais do mesmo é complicado.
    Adorei sua resenha, lembrou as minhas.
    Beijoooos!

    ResponderEliminar