{A LOKA DAS SÉRIES} Buffy the Vampire Slayer

  • terça-feira, agosto 01, 2017
  • By Aline Lanis
  • 0 Comments

E O GRANDE DIA CHEGOU!!!!
Sempre fico muito animada quando vou fazer um post falando sobre algo que eu amo mais que tudo nessa vida. Seja filme, série ou livro. Hoje não vai ser diferente já que eu estou aqui pra falar sobre BUFFY THE VAMPIRE SLAYER! ❤

Ela foi uma das primeiras séries que comecei a acompanhar de fato, isso porque minha tia e prima são fãs e eu sempre escutei falar sobre ela. Até que um dia eu resolvi assistir. Falhei horrivelmente por anos já que eu nunca conseguia passar da 4ª temporada. Verdade seja dita, essa é a mais chatinha de todas mas talvez seja porque eu não estava preparada naquele momento. Acredito que sempre há um tempo certo para você ver ou ler alguma coisa. Seja pela idade e/ou experiências de vida.

Importante é que eu nunca desisti e nesse ano eu recomecei e finalmente terminei. Tive um empurrão da Netflix que tirou a série do catálogo dela e eu acabei vendo tudo direto na pressa pois eu tinha um prazo. E por ter um prazo, eu pulei a 4ª temporada pois já tinha visto ela umas 2 ou 3 vezes e eu não tinha tempo a perder. Bom, fico feliz de ter finalizado a série esse ano já que em 2017 a série fez 20 anos de vida!


Mas qual a história? Vou primeiro citar a primeiro coisa que escutamos em todos se não tô enganada os episódios da primeira temporada: "Em cada geração há uma escolhida. Ela sozinha irá enfrentar vampiros, demônios e as forças do mal. Ela é a Caçadora."
Basicamente quando uma Caçadora morre, outra Caçadora é chamada para seu trabalho do destino. A série tem início depois dos acontecimentos do filme de 1992 mesmo não seguindo realmente o que é mostrado nele (fiz post sobre o filme também, clique aqui para ler), Buffy se muda para Sunnydale depois de ser expulsa de sua antiga escola por ter colocado fogo no ginásio. Mas para o azar dela, ela se muda justamente para a Boca do Inferno ou seja, ali há MUITOS MONSTROS!!

O que faz Buffy ser tão importante para mim é que mesmo sendo criada por um homem a série é feminista e mostra que as mulheres são sim fortes e poderosas. Começando pelo óbvio, a protagonista  — adolescente, mulher, líder de torcida aparentemente fraca e indefesa  —  mas que na verdade é a heroína da história e que salva todo mundo o tempo todo. Não sozinha, ela possui ajuda de seu Sentinela, Giles e seus dois amigos, Willow e Xander e eventualmente de Cordelia, Anya e Tara. É interessante observar que apesar de ter sim protagonistas masculinos eles acabam sendo mais secundários em questão de liderança. Giles é um homem inteligente e que não gosta de quebras as regras dos seus superiores, mas Buffy quebra e faz como quer porque no fim do dia é ela que tem que se arriscar toda noite e matar vampiros e monstros. Xander não é lá muito inteligente mas é sim muito útil, mas nem tanto assim já que ele é o mais fraco da turma toda.

Talvez eu esteja falando de um jeito que faça parecer que a série ridiculariza os homens, mas não. Também não posso negar que ela inverte um pouco os papeis que nós somos acostumados a ver em séries em filmes. E é isso que importa. É preciso ter essa representatividade feminina, até a Cordelia que é uma "donzela em perigo" consegue se proteger sozinha sem precisar de um homem cuidando dela o tempo todo.

A série segue uma grande metáfora da vida em sua história, inicialmente com a convivência escolar e depois com a vida propriamente dita. A ideia é pegar os problemas e horrores que há na vida e manifestar isso em monstros reais. O que deixa a coisa mais brilhante é que conforme Buffy cresce e amadurece é possível ver que há uma diminuída nesses monstros místicos e ela até enfrenta seres humanos que estão ali para fazerem o mal. GENIAL. O que mais vemos os personagens fazer é enfrentar seus monstros diariamente, seja um vampiro ou uma insegurança perante a sociedade, o que deixa mais fácil para quem está vendo conseguir se familiarizar com aquilo. Porque afinal, todos nós temos que enfrentar nossos próprios demônios durante toda a nossa vida e tendo apoio de pessoas certas, nós podemos enfrentar qualquer coisa.

Além disso, o que torna a série mais realista mesmo com toda a fantasia inserida no meio são os personagens que são tão bem construídos que é quase impossível não gostar deles. Mesmo cada um tendo uma característica dominante eles não caem no esteriótipo e se mostram muito mais e amadurecem a cada episódio. O maior exemplo é a Willow que começa a série sendo aquela garota nerd e sem graça aos olhos dos rapazes mas que termina a série sendo uma das (talvez até A ) mais poderosas da turma toda. E essa construção tão profunda dos personagens também faz com que eles não se escondam atrás da protagonista principal (que querendo ou não, continua sendo a Buffy) como é comum de se ver, os amigos ali apenas para ajudá-la e no fim não vemos ou sabemos muita coisa sobre eles. Mas em "Buffy the Vampire Slayer" todos são importantes.

Enquanto eu assista Buffy eu escutei muito um certo amigo dizer que a série era uma mistura de clichês e para ser bem sincera eu nunca entendi o porque. Até tentei fazer ele argumentar do porque mas nunca realmente consegui uma resposta concreta. Mas de qualquer forma, eu não concordo. Para mim, o que a série mais faz é tentar fugir do clichê (foque no tentar já que é praticamente impossível fugir totalmente). Uma das coisas que ele mais foge é do amor perfeito. É tão comum ver por aí histórias de amor que não tem um pingo de problemas ou se tem é tão facilmente superado que até dá sono. A vida real não é assim! Em qualquer tipo de relacionamento há diversos problemas e sendo realista, as vezes é tão difícil superar que isso compromete a relação. Isso não acontece em Buffy, todos os relacionamentos que são apresentados passam por grandes problemas e pra ter mais noção do que tô falando eles não acabam bem. Nenhum deles permanecem para sempre com seus parceiros.

Muitos podem não levar a história a sério, o que me deixa muito triste. Claro, há episódios que não são todos que vão gostar como o episódio musical da 6ª temporada ou ainda o episódio mudo da 4ª temporada, sem falar dos efeitos que obviamente não são lá aquelas coisas a série é de 1997 pessoal, tem que lembrar disso mas para mim isso tudo é balela. Como sempre digo, é preciso ver para falar alguma coisa. Até eu que sou apaixonada achava algumas coisas bestas, mas novamente: 1997! Sim, é uma série feminista e importante mas já se passaram 20 anos então claro que vão ter coisas que não vão ser tão legais hoje em dia, em todos os sentidos.

O que é preciso ser lembrado é que "Buffy the Vampire Slayer" é muito mais que uma série de fantasia ou um drama adolescente, é uma série sobre a vida, amadurecimento, amizade e amor. Com pitadas de comédia e muito drama real em que te faz chorar constantemente (fiquei desolada e desidratada na series finale!). Não sei se consegui ser clara, mas para mim é a melhor série que alguém pode assistir e eu espero que você dê uma chance!

*Nota: em comemoração dos 20 anos de Buffy, a Entertainment Weekly fez um ensaio lindíssimo com o elenco, olhem só que amor 💛


You Might Also Like

0 comentários